O socorro do Céu

Montado em seu belo cavalo o rico fazendeiro dirigia-se à cidade, como fazia frequentemente, a fim de cuidar de seus negócios. Nunca prestara atenção àquela casa humilde, quase escondida num desvio, à margem da estrada.

Naquele dia experimentou insistente curiosidade. Quem morava ali? Cedendo ao impulso, aproximou-se. Contornou a residência e, sem desmontar, olhando por uma janela aberta, viu uma garotinha de aproximadamente dez anos, ajoelhada, mãos postas, olhos lacrimejantes… – Que faz você aí, minha filha?

– Estou orando à Virgem Maria, pedindo socorro… Meu pai morreu, minha mãe está doente, meus quatro irmãos têm fome…

Que bobagem! O Céu não ajuda ninguém! Está muito distante… Temos que nos virar sozinhos!…

Embora irreverente e um tanto rude, era um homem de bom coração. Compadeceu-se, tirou do bolso boa soma de dinheiro e o entregou à menina.

-Aí está! Vá comprar comida para os irmãos e remédio para a mamãe! E esqueça a oração!…

Isto feito, retomou à estrada. Antes de completar duzentos metros, decidiu verificar se sua orientação estava sendo observada. Para sua surpresa, a pequena devota continuava de joelhos.

– Ora essa, menina ! Por que não vai fazer o que recomendei? Não lhe expliquei que não adianta pedir?

E ela, feliz:

Estou apenas agradecendo. Pedi ajuda à Virgem Maria e ela enviou o senhor!

***

– Habitue-se ao cultivo da oração. Ela se situa como precioso alimento, tão importante para a alma quanto o oxigênio para o corpo.

– Converse com Deus, falando-lbe de seus ideais, anseios e receios. Invariavelmente o Senhor nos ajudará a pôr ordem em nossa casa mental, definindo o que é melhor para nós.

– Não se preocupe em falar muito. 0 que vale é o sentimento. Sempre que nossa prece exprimir o desejo sincero de fazer o melhor, no propósito de cumprir a vontade do Criador, poderemos ouvi-lo na intimidade de nosso coração.

– Evite transformar a prece em mero petitório. Considere que se não houver compatibilidade entre o que pedimos e o que Deus nos reserva, encontraremos imensa dificuldade para colher benefícios na oração.

-Ao pronunciar o “Pai Nosso ”, faça-o lentamente, como um exercício de meditação, procurando definir o significado das expressões de Jesus. Nelas está o roteiro precioso de renovação, em favor de uma comunhão perfeita com Deus.

Texto retirado do livro Uma razão para viver – Richard Simonetti.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *