Mudanças

Duas lagartas teceram cada uma seu casulo. Naquele ambiente protegido foram transformadas em belíssimas borboletas. Quando estavam prestes a sair e voarem livremente, vieram as ponderações.
Uma borboleta, sentindo-se frágil, pensou consigo: “A vida lá fora tem muitos perigos. Poderei ser comida por um pássaro. Mesmo se um predador não me atacar, poderei sofrer com tempestades. Um raio poderá me atingir. As chuvas poderão colabar minhas asas, levando-me a tombar no chão. Além disto, a primavera está acabando, e se faltar o néctar? Quem irá me socorrer?”
Os riscos de fato eram muitos, e a pequena borboleta tinha suas razões. Amedrontada resolveu não partir. Ficou no seu protegido casulo, mas como não tinha mais como sobreviver, morreu desnutrida, desidratada e, pior ainda, enclausurada pelo mundo que tecera.
A outra borboleta também ficou apreensiva; tinha medo do mundo lá fora, sabia que muitas borboletas não duravam mais que um dia fora do casulo, mas amou a liberdade mais do que os acidentes que viriam. E assim, partiu. Voou em direção a todos os perigos. Não para enfrentá-los, porém preferiu ser uma caminhante em busca da única coisa que determinava sua essência.

Parábola adaptada do livro “O Vendedor de Sonhos – O Chamado” – Augusto Cury

O que significa a palavra mudar? Nada mais do que, simplesmente, “dar outra direção, arrumar de outro modo, deixar uma coisa por outra, transformar. ” 

Nós estamos em constante movimento, assim como o universo. Isso significa que mudanças ocorrem e são necessárias a cada instante. Mas por que somos tão resistentes a elas?

“Mudar é desadaptar-se, é atualizar-se, é evoluir” 

Mas a tarefa de evoluir espiritualmente não é tão fácil. Como disse Jesus há mais de dois mil anos: “Estreita é a porta que conduz à verdadeira vida”.

O Espiritismo prega que as coisas não estão prontas; o caminho a seguir nem sempre está indicado. Assim, é necessário esforço, trabalho e crescimento através do aprendizado e das mudanças; caso contrário, o espírito terá de aprender e evoluir de maneira dolorosa, pelas doenças, pelas desgraças; enfim, pela dor.

O primeiro passo para mudar é saber que não se muda alguém. Muda-se a si mesmo. Tudo que atraímos tem a ver com o padrão de energia em que estamos vibrando. Esta energia está relacionada às nossas atitudes para com nós mesmos. Ao mudá-las, tomando consciência de nossas crenças, por exemplo, mudaremos a nossa vibração, e tudo ao redor de nós muda também.

Então proponha-se a uma mudança.

Referências:
https://www.ippb.org.br/textos/especiais/mythos-editora/mudar-para-evoluir
http://www.aluzdoespiritismo.com.br/artigos/22/mudanca
http://janelaespirita.blogspot.com/2010/01/proponha-se-uma-mudanca.html

,

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *