Em busca da felicidade

O conceito de felicidade é muito amplo e particular de cada ser humano, basta analisar pessoas que possuam as mesmas condições materiais e a mesma influencia, que cada um terá uma ideia diferente de Felicidade.

A vida humana é uma constante busca pela felicidade. Mas onde e como encontrá-la?

Geralmente a colocamos nas coisas materiais, que tocam o sentido, no bem-estar físico, ou seja, no ter ao invés do ser. Mesmo quando desejamos coisas inatingíveis, que dizem respeito aos sentimentos, relacionamentos pessoais, nossas intenções são egoístas e acabam se tornando uma dificuldade na busca da felicidade.

Porém, viveríamos mais felizes, se acreditássemos de verdade que estamos predestinados a felicidade plena, relacionada a Deus.

Kardec trata deste tema no Livro dos espíritos, na questão 920:

Pode o homem gozar de completa felicidade na Terra?
Não, por isso que a vida lhe foi dada como prova ou expiação. Dele, porém, depende a suavização de seus males e o ser tão feliz quanto possível na Terra.

Questionado ainda se haveria uma medida comum de felicidade para todos os homens, os espíritos superiores respondem:

Para a vida material, é a posse do necessário; para a vida moral, a consciência tranquila e a fé no futuro.

O homem é quase sempre o autor dos seus sofrimentos matérias e morais, pois todas as paixões, a ambição, ansiedade, inveja, ciúmes, são torturas da alma, que cria para si mesmo.

Resumindo, a infelicidade resulta da importância exagerada que se dá as coisas desse mundo, ou seja, insistimos em buscar a felicidade fora de nós, nas coisas materiais ou nos outros, e não no único lugar onde realmente podemos modificar os valores que são capazes de nos fazer felizes.

A felicidade é uma conquista íntima, ou seja, tudo o que precisamos para sermos felizes está em nossos corações.

Se você se decidir por ser feliz, não há nada que possa impedi-lo, a não ser você mesmo.

Então, aproveite os momentos, as oportunidades, brinque, sorria, valorize as coisas simples, abrace quem lhe quer bem.

Não guarde mágoas e deixe no passado qualquer sentimento de culpa. Não se entregue à auto piedade.

Seja otimista. Vibre com as conquistas. Valorize o presente. Planeje o futuro.

Reserve um tempo para você. Reserve um tempo para sua família.

E lembre-se: Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.

Fonte:
NAVARRO, Antônio;  Onde está a felicidade?; Disponível em: https://www.eusemfronteiras.com.br/onde-esta-a-felicidade/
TORCHI, Cristiano; Em busca da felicidade; O reformador; Fev-2012. Pg 5 a 7.
KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. Trad. Guillon Ribeiro. Rio de janeiro: FEB, 2010. Q 920-922.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *