Depressão

Abre-te ao amor e combaterás as ocorrências depressivas,
movimentando-te em paz na área da afetividade com o pensamento em Deus.
Evita a hora vazia e resguarda-te da sofreguidão pelo excesso de trabalho.
Adestra-te, mentalmente, na resignação diante do que te ocorra de desagradável
e não possas mudar.
Quando sitiado pela ideia depressiva alarga o campo de raciocínio e
combate o pensamento pessimista. Açodado pelas reminiscências perniciosas, de
contornos imprecisos, sobrepõe as aspirações da luta e age, vencendo o
cansaço.
Quem se habilita na ação bem conduzida e dirige o raciocínio com
equilíbrio, não tomba nas redes bem urdidas da depressão.
Toda vez que uma ideia prejudicial intentar espraiar-se nas telas do
pensamento nublando-te a razão, recorre à prece e a poli-Valência de conceitos,
impedindo-lhe a fixação.
Agradecendo a Deus a benção do renascimento na carne, conscientiza-te
da sua utilidade e significação superior, combatendo os receios do passado
espiritual, os mecanismos inconscientes de culpa, e produze com alegria.
Recebendo ou não tratamento especializado sob a orientação de algum
facultativo, aprofunda a terapia espiritual e reage, compreendendo que todos os
males que infelicitam o homem procedem do espírito que ele é, no qual se
encontram estruturadas as conquistas e as quedas, no largo mecanismo da
evolução inevitável.

Joanna de Angelis / Divaldo Pereira Franco
Mensagem extraída da obra Receitas de Paz

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *