Bezerra de Menezes

Adolfo Bezerra de Menezes nasceu 29 de agosto de 1831, em Riacho do Sangue, uma pequena cidade do Ceará.  Era descendente de uma antiga família de ciganos fazendeiros de criação, ligada à política e ao militarismo na Província do Ceará.

Seu pai era um tenente-coronel da Guarda Nacional e o seu posicionamento político fez com que a família sofresse perseguições e dificuldades financeiras.

Passou sua infância e adolescência entre o Ceará e o Rio Grande do Norte. Muito cedo revelou a sua fulgurante inteligência, pois aos 11 anos de idade iniciava o curso de Humanidades e, aos 13 anos, conhecia tão bem o latim que ele próprio o ministrava aos seus companheiros, substituindo o professor da classe em seus impedimentos.

Com a morte do seu pai em 1851 mudou-se para o Rio de Janeiro para estudar medicina. Graduou-se em 1856 e em 1858 foi nomeado como assistente do Corpo de Saúde do Exército, no posto de Cirurgião-Tenente.

Em 6 de novembro de 1858, casou-se com a Sra. Maria Cândida de Lacerda, que desencarnou no início de 1863, deixando-lhe um casal de filhos.

Em 21 de janeiro de 1865, casou-se, com Dona Cândida Augusta de Lacerda Machado, irmã materna de sua primeira esposa, com quem teve sete filhos.

Foi um médico extremamente caridoso, dedicou a sua carreira a cuidar dos pobres e dos desfavorecidos

Foi justamente o respeito e o reconhecimento de numerosos amigos que o levaram à política. Foi eleito vereador no Rio de Janeiro em 1861 e 1864. Em 1866, foi eleito deputado Provincial pelo Rio de Janeiro. Retornou à política como vereador no período de 1873 a 1885, ocupando várias vezes as funções de presidente interino da Câmara Municipal. Foi eleito deputado geral pela Província do Rio de Janeiro no período de 1877 a 1885, ano em que encerrou a sua carreira política.

Bezerra de Menezes conheceu a Doutrina Espírita através de um amigo, o também médico Dr. Joaquim Carlos Travassos,  que fez a tradução da obra  Livro dos Espíritos para o português, em 1875, e deu um exemplar com dedicatória à Bezerra.  Ele próprio mais tarde registrou a sua primeira impressão sobre a obra:

“Deu-mo na cidade e eu morava na Tijuca, a uma hora de viagem de bonde. Embarquei com o livro e, como não tinha distração para a longa viagem, disse comigo: ora, Deus! Não hei de ir para o inferno por ler isto… Depois, é ridículo confessar-me ignorante desta filosofia, quando tenho estudado todas as escolas filosóficas. Pensando assim, abri o livro e prendi-me a ele, como acontecera com a Bíblia. Lia. Mas não encontrava nada que fosse novo para meu Espírito. Entretanto, tudo aquilo era novo para mim!… Eu já tinha lido ou ouvido tudo o que se achava no ‘O Livro dos Espíritos’. Preocupei-me seriamente com este fato maravilhoso e a mim mesmo dizia: parece que eu era espírita inconsciente

Mais que um adepto, Bezerra de Menezes foi um defensor e um divulgador da Doutrina Espírita. A partir de 1883 ele começou a publicar artigos doutrinários no jornal Reformador. No ano seguinte, passou a contribuir também com o periódico O Paiz  Foi em 1889, que Bezerra de Menezes foi eleito como presidente da Federação espírita Brasileira

Estudou e traduziu obras de Allan Kardec e continuou a doutrinar através de seus artigos jornalísticos no O Paiz até o fim de 1893.  Foi convidado em 1895 a reassumir a presidência da FEB, função que exerceu até à data de seu falecimento.

Bezerra de Menezes desencarnou em 11 de Abril de 1900, tendo ao lado a dedicada companheira de tantos anos, Cândida Augusta.

Fonte:

FERNANDES, Ana Luiza. Quem foi bezerra de menezes?. Disponivel em
< https://www.wemystic.com.br/artigos/quem-foi-bezerra-de-menezes/>

ADOLFO BEZERRA DE MENEZES. Disponível em
< https://www.febnet.org.br/wp-content/uploads/2012/06/Adolfo-Bezerra-de-Menezes.pdf>

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *